II Encontro Sul Fluminense de Ensino de Ciências e Biologia


Evento reúne educadores no campus Olezio Galotti

Publicado em 5/9/2019

O campus Olezio Galotti sediou, nessa quinta-feira, 5, o II Encontro Sul Fluminense de Ensino de Ciências e Biologia. O evento teve como objetivo criar um espaço de intercâmbio de informações e experiências sobre o ensino de ciências e biologia e foi organizado pelo curso de Ciências Biológicas (Licenciatura) e pelo Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente, Mecsma.

A atividade também estimulou o desenvolvimento de metodologias inovadoras, pesquisas e o debate sobre os desafios da educação. “Criamos um espaço para discutirmos práticas pedagógicas no ensino de ciências e biologias e também aproveitamos o momento para discutir educação num contexto geral: desafios, perspectivas, inovações, aprendizado, deficiência, direitos humanos, entre outros. Aproveitamos o momento para trazer para a discussão tudo o que é relevante para a formação e capacitação, tanto dos nossos alunos quanto dos profissionais”, explicou o coordenador do curso de Ciências Biológicas, Dimitri Alves.

Ao todo, foram 12 oficinas no período da tarde e duas rodas de conversa à noite. “Conversamos com os alunos há alguns meses para selecionarmos os temas que mais os interessam; optamos por oficinas inovadoras que oferecem um dinamismo aos nossos alunos e que os capacitem em algumas práticas que são importantes para a empregabilidade deles”, continuou Dimitri.

A egressa do curso de Ciências Biológicas Licenciatura, Tatiane Lima, formada em 2017, participou pelo segundo ano do evento. “A nossa profissão tem sido tão desvalorizada nos últimos anos que tem sido cada vez mais necessários momentos como esse que nos permitem uma atualização e qualificação em temas que precisamos de um embasamento teórico bem consolidado para sabermos atuar, na prática, da melhor maneira possível”, pontuou a professora, que concluirá o curso de bacharelado esse ano.

Pibid em pauta

O Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência (Pibid) foi tema da primeira roda de conversa da noite. O Pibid/UniFOA vem contribuindo com a consolidação docente. “Temos o programa na instituição desde 2013; atualmente contamos com 28 bolsistas, envolvendo três escolas, somando mais de 1500 estudantes que são contemplados. O Pibid/UniFOA tem papel fundamental para o processo de construção de conhecimentos didático-pedagógicos”, apontou a coordenadora institucional do Pibid/UniFOA, Ivanete Oliveira, em sua fala.

Jéssica do Carmo, aluna do segundo ano de Ciências Biológicas Licenciatura é bolsista do programa. “Nosso projeto é sobre educação sexual e doenças sexualmente transmissíveis e tem sido bastante enriquecedor viver essa experiência ainda no segundo ano, porque nesse período ainda não podemos fazer estágio, mas o Pibid possibilita a minha inserção na educação básica”, comentou a aluna.

O Pibid é uma ação da Política Nacional de Formação de Professores do Ministério da Educação (MEC) que visa proporcionar aos discentes do curso de licenciatura uma aproximação prática com o cotidiano das escolas públicas de educação básica e com o contexto em que elas estão inseridas. O programa concede bolsas aos alunos participantes de projetos de iniciação à docência desenvolvidos por instituições de educação superior em parceria com as redes de ensino.


Veja Também: