Viva o Dia da Feliz Idade


Cursos do UniFOA participam de ação na AAP-VR

Publicado em 30/10/2016 as 0:00

O Dia do Idoso é comemorado em 1º de outubro e a Associação de Aposentados e Pensionistas de Volta Redonda fez uma verdadeira festa na última quarta, 28.  Na terceira edição do “Dia da Feliz Idade”, vários serviços foram oferecidos para os associados. Os cursos de Medicina, Serviço Social, Educação Física e Nutrição estiveram presentes e realizaram diversos atendimentos ao público.   

Segundo a professora do curso de Serviço Social, Karin Escobar, o idoso de hoje tem uma maior preocupação no que diz respeito a seus direitos e deveres. “Atualmente o idoso tem essa curiosidade, às vezes sabem seus direitos, mas de forma equivocada e nosso papel é justamente de ensina-los e solucionar essas dúvidas”, ressaltou a professora que completou:  

- Também temos o objetivo de falar sobre questões como a inclusão desse usuário em atividades sociais que possibilitem sua socialização. Dessa forma, desconstruímos um pouco desse preconceito de que o idoso e aposentado não fazem nada. Aqui nós trabalhamos para potencializar essa independência e autonomia para que eles se sintam contribuindo, enquanto sujeitos de direito, para esse modelo produtivo.

Responsável pelo curso de Nutrição, Paula Leone, ministrou uma oficina de horta vertical, sal de ervas e chás. Com o apoio dos alunos, a professora explicou ao público os procedimentos com as ervas, o beneficio de algumas e como podem ser ingeridas. “Sabemos que as pessoas da terceira idade têm uma afeição muito grande por esses assuntos, principalmente por chás, durante minhas consultas eles sempre demonstram essa curiosidade. Trabalhar com eles é muito gratificante, são muito receptivos e procuram sempre aprender mais sobre o assunto”, pontuou.   

Além de oficinas, os usuários também puderam contar com atendimentos de saúde. Alunos do curso de Medicina realizaram aferiram pressão e fizeram testes glicêmicos. Laís Campos, do 9° módulo, explicou a importância da ação. “É um prazer imenso ajudar de alguma forma, principalmente dando atenção. Na maioria das vezes o paciente idoso procura um consultório médico mais para conversar e ter uma companhia do que pela doença em si. É minha primeira vez no evento e estou muito feliz e motivada a voltar mais vezes”, enfatizou a aluna.   

Muito satisfeita com todo o carinho recebido, a usuária Célia Alves, não poupou elogios. “É um estímulo para nós, pois antigamente não tínhamos essa valorização, éramos como uma peça qualquer. É muito bom poder se sentir amado, estou muito feliz com tudo isso”, finalizou.


Veja Também: