I Encontro Sul Fluminense de Ensino de Ciências e Biologia


Evento capacita professores e alunos em educação

Publicado em 5/10/2018

O UniFOA sediou o I Encontro Sul Fluminense de Ensino de Ciências e Biologia nessa sexta-feira, 5, no campus Olezio Galotti. O evento foi promovido pelo curso de Licenciatura em Ciências Biológicas e Mestrado Profissional em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente, Mecsma, e teve como objetivo o desenvolvimento de metodologias inovadoras, pesquisas e o debate sobre os desafios da educação.

O encontro reuniu alunos e educadores para um debate e uma troca de experiências, através de palestras e minicursos durante todo o dia. O coordenador do curso de Licenciatura em Ciências Biológicas, Dimitri Ramos Alves, destacou a importância das palestras e oficinas. “A ideia foi criar e gerar um espaço para debate e também uma troca de experiência entre os presentes, realizando uma integração que visa atender os interesses dos alunos”, comentou o coordenador.

Na parte da manhã, os alunos e educadores presentes acompanharam duas palestras. A professora de Biologia e egressa do Mecsma, Maria Helena Machado, palestrou sobre a Base Nacional Comum Curricular e o ensino de ciências. “Espero que os presentes possam conhecer mais das propostas da nova Base Nacional Comum Curricular e debatê-la, apresentando novas propostas, críticas e sugestões”, pontuou a professora.

Ainda pela manhã, o professor e egresso do Mecsma, Sandro Ribeiro, falou sobre as metodologias ativas. “É necessário que os professores e também os futuros professores reflitam as novas formas de transmitir os conteúdos para os alunos”, afirmou Sandro.

As oficinas

O encontro ofereceu, ao todo, 11 oficinas com temas interdisciplinares, que abordaram desde o ensino em biologia à educação atual. A reitora do UniFOA, Claudia Utagawa, e o professor dos cursos de Administração e Sistemas de Informação, Rafael Teixeira, debateram com professores e alunos “Trabalhando competências para o século XXI”.

“O objetivo da oficina foi proporcionar aos participantes uma visão de que trabalhar com as competências geram resultados muito interessantes, porque elas levam os indivíduos a aprimorar qualidades que eles podem nem saber que têm”, comentou Rafael.

Uma das maiores competências que precisa ser desenvolvida em todos os profissionais é colaboração, segundo a reitora. “Com a indústria 4.0, percebemos que para construirmos um bom projeto precisamos de colaboração. O colaborar traz um desafio de olhar para a formação como um todo, o que traz uma expansão de conhecimento para o nosso universo”, completou Claudia.

A professora da secretaria de Educação de Pinheiral, Luciane Brandão, buscou o evento como forma de aprimoramento. “Enquanto professores, precisamos sempre nos capacitar e atualizar o nosso conhecimento técnico, além de aprimorar a nossa maneira de lecionar, porque os nossos alunos estão mudando e nós precisamos mudar com eles”, explicou a professora, que dá aula de Biologia na rede pública de ensino.

Ensino e pesquisa em pauta

Fechando as atividades, os participantes contaram com as palestras “A docência e pesquisa para o ensino de ciências e biologia”, com a doutora em Ciências, Rosane Meirelles, e “Da graduação à orientação: uma trajetória de ensino e pesquisa”, com a doutora em Ensino de Biociências e Saúde, Maria de Fátima Alves, ambas pesquisadoras da Fiocruz.

O encontro foi um momento de encontro com a realidade do mercado de trabalho para o aluno do quarto ano de Licenciatura em Ciências Biológicas, Leonardo Candido. “Toda bagagem de conhecimento adquirida hoje contribuiu para que o fim da minha graduação fosse mais embasado teoricamente e me capacitou para que eu chegue preparado ao mercado de trabalho, conhecendo um pouco mais da realidade que vou encontrar”, concluiu.


Veja Também: