Biomimetismo é tema de palestra no mestrado

30/11/2016 - Mestrado

Tema é atual e bastante amplo
Ouvimos certa vez em nossas aulas de química no ensino fundamental que “na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma". Para quem não se lembra, essa frase foi dita pelo francês, Antoine Lavoisier. E por que não aproveitar as características da natureza e aplicar no cotidiano da nossa sociedade?

Esse processo existe, é a Biomimética. A partir das observações da natureza, são desenvolvidas funcionalidades úteis para os seres humanos, sem degradar o meio ambiente, de forma sustentável.

O tema em questão foi trabalhado com os alunos do Programa de Mestrado Profissional em Ensino de Ciências da Saúde e do Meio Ambiente, que participaram da primeira conferência internacional online com o biólogo e pesquisador alemão, Simon Vogel. A tradução simultânea foi feita pela jornalista e especialista na área de meio ambiente e novas tecnologias, Maryan D’Ávila.


“Nosso objetivo foi conscientizar os alunos para que sejam agentes multiplicadores na sociedade. Assim, fica mais fácil de perceber formas de melhorar o ambiente em que vivem, a partir do biomimetismo”, disse Maryan.

Ainda segundo a especialista, as possibilidades de aplicar o biomimetismo no país são infinitas, visto a grandeza territorial e a biodiversidade. “Temos a floresta amazônica que abrange 47% do território brasileiro e concentra mais da metade de espécies vivas de todo planeta, por exemplo. Então, do Brasil podem ser tiradas várias boas ideias”, comentou.

A coordenadora do Mecsma, Ilda Cecília, falou sobre a relevância do tema. “A questão da Biomimética é relativamente nova no cenário nacional, embora na Europa existam alguns estudos inclusive com produtos patenteados no Brasil. A discussão foi um momento muito importante para os estudantes do mestrado se aproximarem do assunto”, finalizou Ilda.

Veja Também