Bate-papo sobre Intercâmbio


Cursos de Comunicação promovem roda de conversa sobre o tema

Publicado em 8/10/2018

Por Thales Machado – 1º ano de Jornalismo

Na última sexta-feira, 5, foi realizado um bate-papo sobre intercâmbio, no auditório do campus Porfírio José de Almeida, no Aterrado. Promovido pela Atlética Acadêmica de Comunicação Social do UniFOA, o evento aberto ao público reuniu um relevante número de interessados, entre discentes e docentes, nas diversas experiências dos convidados no exterior.

Entre os convidados e convidadas, estiveram presentes Isabella Bittencourt, Au pair nos Estados Unidos e egressa do curso de Jornalismo; Ricardo Bicalho, que faz intercâmbio à trabalho na Irlanda e egresso do Engenharia Mecânico; os egressos do curso de Publicidade e Propagada Igor Fagundes, que faz intercâmbio à estudo em Londres; Douglas Pimenta, que faz intercâmbio à estudo nos EUA; Vitor Hugo Ojeda, intercâmbio à estudo na Alemanha e é aluno do 3º ano de Jornalismo, e a Representante da AIESEC, Graziela Machado.

Os palestrantes se apresentaram para o público e contaram suas histórias com relação aos programas de intercâmbio por eles realizados, voltados a fins educativos, pessoais e/ou profissionais. Eles revelaram os motivos pelos quais determinaram a decisão de estudar fora do país, em busca de um eficaz aprendizado da língua nativa daquele território, além da compreensão sobre a cultura e os costumes da região em que estavam inseridos. Além disso, houve uma troca de vivências e curiosidades por meio de uma conversa informal e aberta a fim de realizar uma comunicação mais atrativa, tanto para os acadêmicos quanto para os professores ali presentes.

A formada em Letras, Graziela Machado, foi quem deu o ponto de partida no diálogo ao mostrar as características da organização em que a atua como representante, a AIESEC. A profissional exibiu as principais parcerias firmadas pelo maior movimento de liderança jovem do mundo, além de apontar algumas metas globais da ONU (Organização das Nações Unidas) que a plataforma busca cumprir. Através de viagens de intercâmbio, os estudantes voluntários do programa podem explorar seus potenciais ao lidar com situações desafiadoras em certas regiões precárias e de difícil acesso a inúmeros recursos, ajudando os envolvidos com ações educativas, bem como humanitárias em sua essência.

A produção seguiu por meio de um conjunto de relatos, mostrando diferentes perspectivas sobre o ato de viajar, conhecer e estudar realidades distintas da usual em território brasileiro. Sob o olhar e o entendimento de cada nacionalidade, legitimou-se a abertura, de fato, para um mundo de oportunidades em variados ramos de trabalho. Ao final, os intercambistas abriram espaço para perguntas e retirada de dúvidas.

Formada em Jornalismo pelo UniFOA, Isabella Bittencourt teceu alguns comentários sobre a realização do evento. “Achei muito legal o ato de reunir tanta gente bacana para falar sobre suas experiências em diferentes países, tendo em vista que é muito importante que o UniFOA abra portas para as mais variadas possibilidades de intercâmbio aos alunos, mostrando que não é uma coisa inacessível e incentivando um maior conhecimento sobre o assunto”, comentou Isabella, que tem um canal no YouTube, chamado “Isabella Bittencourt TV”, onde dá dicas e compartilha seu cotidiano em território americano.

A YouTuber é participante de um programa para ser Au pair nos EUA, no estado de Delaware. A estudante brasileira trabalha cuidando de três meninas pequenas para a sua família anfitriã que a integra como parte da mesma, lhe dando moradia, comida e etc. Ela recebe uma bolsa de estudos do idioma local.

A realização também contou com a presença da docente Stella Arantes Aragão, professora das disciplinas de Realidade Sociopolítica e Cultural Brasileira e Ética, Filosofia e Legislação Publicitária no curso de Publicidade e Propaganda na Instituição. Stella compõe o Núcleo de Internacionalização do UniFOA, UNEX, e expôs sua visão sobre a produção que também trouxe o apoio do setor no qual dá suporte aos acadêmicos em ações de intercâmbio, cooperação científica, cultural e técnica com universidades do exterior.

“É de suma importância que haja um incurso e incentivo, por parte da comunidade discente, bem como da coordenação dos cursos, para as ações de internacionalização, que estão além das atividades de intercâmbio em si”, completou e a docente com mestrado em Ensino em Ciências da Saúde e do Meio Ambiente. “Também foi muito relevante para a efetiva divulgação dos trabalhos desenvolvidos pela UNEX, impulsionando as práticas individuais dos alunos, assim como ao enxergar as futuras contribuições com novos convênios, a partir do desenvolvimento de outras línguas e objetos de estudo internacionais”, acrescentou a professora.


Veja Também: